Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

BN - Justiça acata pedido e Casan deverá revisar faturas - ACB FM 87.9

Fale conosco via Whatsapp: +55 48 99699 7766

No comando: Espaço aberto

Das 6:30 às 7:50

No comando: Ronda Policial

Das 7:50 às 8:15

No comando: Jornal no Ponto

Das 8:20 às 9:20

No comando: Show dos bairros

Das 9:30 às 11:30

No comando: Rancho acb

Das 09:00 às 12:00

No comando: ACB Comunidade

Das 11:00 às 13:00

No comando: ACB Noticias

Das 11:30 às 12:00

No comando: Temas em debate

Das 12:00 às 12:40

No comando: Rock no vale

Das 13:00 às 18:00

No comando: Sertanejo bom demais

Das 13:30 às 16:00

No comando: Missa da Saúde

Das 15:00 às 16:00

No comando: Terra Sertaneja

Das 16:00 às 18:00

No comando: Clássicos ACB

Das 18:00 às 20:00

No comando: Rock in roll radio

Das 19:30 às 21:00

BN – Justiça acata pedido e Casan deverá revisar faturas

A 1ª Vara Cível da Comarca de Braço do Norte acolheu o pedido liminar do Município de Braço do Norte de revisão das faturas de água e esgoto da Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan) referentes ao mês de abril, com pagamento em maio.
Na decisão, que foi publicada no final da tarde desta segunda-feira, 20, 24 horas após a ação da Prefeitura ter sido protocolada pelo Procurador Jurídico do Município, Lucas Nascimento Ferreira, o magistrado determinou que a Casan realize no prazo de três dias a revisão das faturas de água e esgoto emitidas em abril (com pagamento em maio) de todos os munícipes, e que realize o cálculo através das últimas seis faturas, como determinada o art. 90 da Agesan – Agência Reguladora Intermunicipal de Saneamento.
Conforme o prefeito, Beto Kuerten Marcelino, o Município buscou apenas a forma justa de cobrança. “Acreditamos ter feito o melhor para a população. Neste momento de pandemia, onde muitas famílias estão com dificuldades, não é possível que recaia sobre elas a falha daquela entidade”, comentou.
Beto reforçou ainda que não haverá necessidade de os munícipes entrarem em contato com a Casan. “A revisão será realizada de maneira sem que precise fazer a solicitação. Além disso, quem já realizou o pagamento, será, conforme a ordem judicial, concedido abatimento do valor cobrado indevidamente na próxima fatura”, encerrou.
O judiciário determinou ainda que a Casan deve divulgar a revisão das faturas para conhecimento da população, evitando ou reduzindo o pagamento por parte dos consumidores. No caso de descumprimento de qualquer das medidas, será cobrada multa de R$ 100 mil.

Deixe seu comentário: